DOENÇAS INFECTOCONTAGIOSAS E ACUPUNTURA

No Brasil, existe uma lenda conhecida por muitos Acupunturistas veterinários onde doenças infectocontagiosas como a cinomose em sua fase aguda não pode ser tratada com acupuntura se não o animal morre. Para discutirmos isso, vamos fazer uma breve análise na origem da Medicina Tradicional Chinesa.

Imagine que a 3.000 anos na China havia uma população entre 200 e 500 milhões de pessoas. Não havia a medicina moderna que temos hoje, somente o uso da acupuntura e outras técnicas da medicina chinesa.

As epidemias eram constantes, e mantinham um desafio sanitário com grande prevalência de doenças como cólera, malária e poliomielite. Todas as enfermidades eram tratadas com estas técnicas. Um fato curioso, e muito interessante, é que os médicos deste tempo recebiam somente se as pessoas estivessem saudáveis.

Diferente de hoje, onde o médico ganha para tratar doenças, o médico ancestral chinês trabalhava para não haver doenças e quando estas apareciam, tratava para não deixar o paciente morrer ou ficar inutilizado, gerando gastos para o imperador, visto que o indivíduo não poderia mais produzir trabalho algum. Era uma medicina profilática. E qual a semelhança entre cinomose em animais e poliomielite em pessoas? Ambas possuem sinais e sintomas similares, doenças causadas pela mesma família de vírus e deixam sequelas semelhantes. Assim os chineses tratam doenças como a pólio/cinomose a milênios. E o porquê desta lenda? Por desconhecimento de técnicas avançadas de acupuntura que já existiam e que há mais de 8 anos vem sendo utilizadas e difundidas no Brasil.

Outra doença atual aqui no Brasil é a leishmaniose. Lembrando que há pouco tempo atrás era proibido o tratamento de animais doentes e obrigatório a eutanásia. Hoje já é possível usar os fármacos que ajudam muito, mas não curam, ou se curam deixam lesões severas por efeitos colaterais indesejados. A leishmaniose também estava presente na China e era tratada com bons resultados.

Estas e outras doenças como parvovirose, leptospirose, rinotraqueíte infecciosa e tantas outras doenças causadas por vírus e bactérias podem ser tratadas na sua fase aguda, e temos tratado com resultados excelentes, diminuindo a mortalidade, as sequelas pela doença e pelos fármacos usados, aumentando assim a  qualidade e o tempo de vida destes animais. No ambuatório na UFBA – Salvador, zona endêmica de leishmaniose, temos tratado e mantido os animais muito bem por períodos longos sem a necessidade de usar doses aumentadas e fármacos poderosos.

Tudo isso graças ao estudo das técnicas de bioenergética dentro da medicina veterinária tradicional chinesa. Estas técnicas foram propostas baseadas nos clássicos da literatura médica chinesa, em especial o LingShu, e foram traduzidas e mostradas ao ocidente para o uso em medicina humana pelo Dr. Van Ngy. Um de seus discípulos formou um veterinário venezuelano, o Dr. Danny Rafael Perez, pioneiro da bioenergética veterinária nas Américas, que vem ensinando estes conhecimentos na América e em especial no Brasil, comprovando clinicamente e na pratica a eficiência destas técnicas para as patologias infecciosas.

Tudo através do estudo da imunologia baseada na medicina chinesa e na estimulação correta dos mecanismos de defesa orgânicos através de técnicas de acupuntura baseadas na bioenergética. Desta forma podemos tratar estas diferentes doenças em conjunto ou não com a terapia convencional, conforme o que for melhor para o animal. E sim, tratando cinomose na fase mais aguda, às vezes mesmo antes dos sinais neurológicos se apre-
sentarem. Casos de rinotraqueíte viral em cães e especialmente em gatos tem resultados surpreendentes com melhoras em 1 a 2 dias, o mesmo tempo para a recuperação de um animal com parvovirose.

Atualmente estão sendo desenvolvidos estudos e pesquisas cientificas em algumas universidades do país que estão trabalhando com a medicina chinesa em tratamento de doenças infecciosas com dados baseados na ciência ocidental comprovando tais resultados. Cada vez mais podemos perceber que a integração de terapias é o caminho para a cura e saúde dos animais.