As gastroenterites e a acupuntura

A acupuntura também pode ser utilizada em casos de gastroenterites (GE) tanto agudas quanto crônicas (estas, ocorrendo em bem menor frequência). Geralmente é tratado em associação a fórmulas fitoterápicas chinesas e em alguns casos a dietoterapia chinesa.

As causas mais comuns de gastroenterites agudas estão relacionadas com alimentação incorreta e as gastroenterites hemorrágicas virais, como a coronavirose e a parvovirose. Os casos crônicos geralmente se relacionam a parasitoses (como a giardíase ou verminose), doenças do pâncreas exócrino e as linfangiectasias.

Nos casos agudos temos a ação do que os chineses chamam de fatores patogênicos externos: o calor no caso da GE alimentares, o frio nos casos das GE virais e a umidade no caso das GE agudas por protozoários. O tratamento básico consiste em retirar este fator patogênico. Uma das técnicas mais eficiente é a técnica dos planos que se baseia no clássico chinês do Shan Han Lun.

Se fizermos uma explicação resumida podemos dizer que os meridianos, ou linhas de energia que existem em nosso corpo, são muito relacionados ao sistema nervoso central e aos nervos periféricos, ligando o interior ao exterior, formam estruturas funcionais que são definidas pelas ações dos movimentos Água, Madeira, Fogo, Terra e metal, forma que os chineses criaram para fazer uma medicina cientifica.

Cada movimento explica diferentes doenças em diferentes localizações do corpo. Estas técnicas podem até ajudar, como o uso de pontos em locais próximos aos nervos que controlam a movimentação dos intestinos como o caso do VG 1 que fica na base da calda próximo ao nervo pudendo que em estudos consegue o mesmo resultado do uso de sulfas no tratamento da diarreia em casos de colibacilose dos leitões. Outra forma de usar estes meridianos seria relacioná-los com a anatomia e o posicionamento de fora para dentro do corpo animal. Desta forma, temos meridianos mais externos e mais internos.

Usando a técnica de planos conseguimos um tratamento mais profundo e fazemos com que o organismo elimine os fatores patogênicos, fazendo que o animal tenha uma melhora mais rápida.

Dando um exemplo: se considerarmos o tempo de uma parvovirose, que geralmente é de 5 a 7 dias com o animal apresentando diarreia e vômito, passa a 1 a 2 com o uso desta técnica, diminuindo muito a mortalidade dos animais.

As fórmulas fitoterápicas chinesas e a correção da alimentação também ajudam na recuperação dos casos onde a acupuntura não seja tão efetiva, em especial nas diarreias crônicas, onde alimentos como a ameixa japonesa (umeboshi) ou o remédio a base dela Wu Mei San, eliminam giárdia e outros parasitas que provocam diarreia crônica, curando-as definitivamente.

Também existem as fórmulas que melhoram a digestão, nos casos onde ocorrem problemas pancreáticos crônicos que impeçam a metabolização e absorção dos nutrientes, fazendo a cura do processo.

Há também a possibilidade do uso de medicação e técnicas da medicina ocidental que podem ser associadas e combinadas com a Medicina Tradicional Chinesa, melhorando muito os resultados na terapêutica e cura das patologias.